novembro 2021 Caminhos para retomada marcam primeiro dia do Airport National Meeting

No primeiro dia de atividades do Airport National Meeting (ANM  2021), a preocupação com a retomada do fluxo aéreo deu o tom em todos os painéis, ainda que os números revelem que, no caso brasileiro, pelo menos no que se refere ao tráfego doméstico, há bons indícios de melhoria.

Em sua mensagem de boas-vindas, na abertura dos trabalhos, Dyogo Oliveira, presidente da ANEAA (Associação Nacional das Empresas Administradoras de Aeroportos), organizadora do evento, frisou a importância do ANM 2021 como uma plataforma de debates e de promoção de negócios. Em seguida, destacou que, ao organizar o evento, a entidade celebra o marco dos 10 anos do programa de concessões aeroportuárias. “Completamos uma década de transformações, com mais de 70% das operações transferidas à iniciativa privada. São dez anos de um programa bem-sucedido, que tem garantido ao Brasil a oportunidade de aperfeiçoar produtos e serviços, consolidando sua liderança nas Américas e no mundo”, disse.

Convidado para a abertura, o Secretário Geral da Organização da Aviação Civil (ICAO), Juan Carlos Salazar, apontou o Brasil como um destaque no continente na adoção de boas práticas para prestação de serviços aeroportuários e de inovação. Para Salazar, as concessões aceleram a modernização da jornada do passageiro.

Ainda na parte da manhã, foi apresentado o primeiro painel do ANM, com as participações dos CEOs da Changi Airports International, Engene Gan, e da Aeropuertos Argentina 2000 (AA2000), Daniel Ketchibachia, além do MD da Zurich Airport International, Daniel Bircher. O mediador foi o diretor da Airports Council International (ACI) para a América Latina, Rafael Echevarne. No encontro, eles concordaram que a recuperação do tráfego aéreo global, na retomada pós-pandemia, dependerá muito do impulso verificado nos fluxos domésticos dos países.

Também falaram sobre a transformação digital não como uma opção, mas como uma obrigação dos aeroportos, e alertaram para a importância de valorizar modelos de negócios que alcancem o reforço logístico para a movimentação de cargas. Além disso, elogiaram o programa brasileiro de concessões aeroportuárias, mantido em curso apesar da pandemia.

À tarde, a programação seguiu com o painel “Reflexos da Cooperação Internacional no Setor Aeroportuário”, composto por Luis Felipe de Oliveira, diretor Geral da Airport Council International (ACI); Rogério Benevides, diretor da ANAC; e José Ricardo Botelho, diretor Executivo e CEO da Associação Caribenha e Latino-Americana e Transporte Aéreo (ALTA). A mediação foi feita pelo brigadeiro Ary Bertolino, membro Alterno do Brasil no Conselho da ICAO.

Um dos destaques do encontro foi a divulgação da estimativa de manutenção da perda expressiva da indústria da aviação, em todo o mundo, que, em 2021, deverá ficar em torno dos US$ 111 bi, contra US$ 125 bi, em 2020. Mas, para além dos prejuízos ainda presentes, foi enfatizada, nas apresentações, a importância da busca por soluções conjuntas baseadas, principalmente, no trabalho do Council Aviation Recovery Taskforce (CART), da ICAO, que busca uma ação coordenada de enfrentamento dos impactos da covid-19 e a harmonização de protocolos.

A programação do Airport National Meeting continua nesta terça-feira, com mais três painéis: “Inovações Tecnológicas na visão do Conselho da ICAO”; “Ambiente de Negócios do Brasil: Oportunidades e Desafios para Investidores Internacionais” e “Superando a Turbulência: Perspectivas do Setor Aeroportuário Brasileiro no Pós-pandemia”.

A participação é gratuita e o evento pode ser acompanhado pelo YouTube do ANM 2021 ou da Aviation TV. Ou ainda na plataforma do ANM 2021 em www.airportnm.com.

Associados Dados do setor Contato

SHS Quadra 06, Complexo Brasil 21
Torre A, Sala 207 Asa Sul, Brasília
CEP: 70.316-102
Telefone: (61) 3039-9561

Sigam-nos!
© 2019 ANEAA - Todos os direitos reservados