Notícias



Três vencedoras assinam contrato de concessão de aeroportos

Os grupos Aena Desarrollo Internacional (Espanha), Zurich Airport (Suíça) e Consórcio Aeroeste (Brasil) participaram na passada sexta-feira (6/09), no Palácio do Planalto, em Brasília, de uma cerimônia de assinatura simbólica dos contratos de concessão da quinta rodada de leilões de aeroportos, ocorrida em março. Os três grupos arremataram, respectivamente, os blocos Nordeste (aeroportos de João Pessoa e Campina Grande – PB; do Recife – PE; de Maceió – AL; de Aracaju – SE; e de Juazeiro do Norte – CE), Sudeste (terminais de Macaé – RJ, e de Vitória – ES) e Centro-Oeste (aeroportos de Cuiabá, Rondonópolis, Sinop e Alta Floresta, em Mato Grosso)

Ao todo, o governo arrecadou R$ 2,4 bilhões com a operação, superando a outorga estipulada de R$ 2,1 bilhões. O investimento previsto para o período de 30 anos de concessão na ampliação e manutenção dos aeroportos dos três blocos é de R$ 3,5 bilhões em itens de segurança, conforto de terminal, velocidade de operação, investimentos em pista e pátio. “Há uma série de investimentos obrigatórios previstos e alguns que são demandados por gatilho. A partir do momento que demanda cresce, para manter o padrão de prestação de serviço, o investimento passa a ser requerido”, explicou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas à Agência Brasil.

De acordo com o ministro, a sexta e sétima rodadas de leilões de aeroportos da Infraero, já têm data marcada: a sexta, em outubro de 2020, com três blocos, que incluem aeroportos de Goiânia (GO), terminais na Amazônia e no Nordeste, além de importantes terminais no Sul, como os Curitiba e Foz do Iguaçu, no Paraná. Já a sétima rodada deverá ocorrer até o início de 2022, também com três blocos e incluindo aí os terminais de Congonhas, em São Paulo, e Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

Fonte: Agência Brasil