Notícias



RIOgaleão realiza primeiro simulado de emergência de alta complexidade

O RIOgaleão, em conjunto com a Defesa Civil e Corpo de Bombeiros, acaba de realizar um simulado de emergência no Aeroporto Internacional Tom Jobim para colocar em prática treinamentos de contenção de vazamento de combustível decorrente de furto (técnica da trepanação), combate a princípio de incêndio e evacuação da área. Mais de 60 órgãos estaduais, municipais, federais e privados se envolveram na operação. Foi a primeira vez que um treinamento desta complexidade se realizou no aeroporto. A ação fez parte de uma série de atividades de conscientização social para promover a redução de riscos de desastres e reforçar a agilidade e o trabalho em equipe – com o envolvimento de diferentes órgãos e entidades – para combater acidentes de alta gravidade.

Na simulação, o aeroporto montou três cenários emergenciais, entre prático e teórico em sala de crise, que englobaram o vazamento de combustível com princípio de incêndio, contaminação do solo e suspeita de uso de técnica de trepanação (instalação clandestina na tubulação para furto de combustível dos dutos); pane seca nos pits de abastecimentos das aeronaves, bem como início de incêndio em um tanque do pool de abastecimento das distribuidoras de combustíveis com evacuação da área abastecedora. Por último, foi feita uma simulação de vazamento de combustível de um caminhão abastecedor de aeronaves também com princípio de incêndio.

O diretor de operações do RIOgaleão, Herlichy Bastos, explica que o simulado visa promover integração com todos os órgãos públicos de segurança e emergência do Estado do Rio e com as entidades que atuam no aeroporto, que são fundamentais em casos reais: “Buscamos com este treinamento uma sinergia e troca de experiências que aumentam a integração entre o poder público e o privado e nivelamento do conhecimento de comando e controle”, avalia Herlichy.

O simulado de emergência contou com a participação do Centro de Operações do Rio, Centro Estadual de Administração de Desastres (CEstAD), concessionárias de outros aeroportos, companhias aéreas, abastecedoras, controle de tráfego aéreo, Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), Instituto Estadual do Ambiente (INEA), Força Aérea Brasileira, (FAB), Marinha, Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio, Polícia Militar, Guarda Municipal, Companhia de Engenharia de Tráfego do RJ (CET-RIO), Secretarias da Ordem Pública, do Turismo, Saúde, Social e Transportes.

 

 

Fonte: RIOgaleão