Notícias



Movimento em aeroportos cresceu 13% durante a Copa

Os 21 principais aeroportos brasileiros, que concentraram o fluxo de torcedores durante a Copa do Mundo, receberam 17,8 milhões de passageiros entre os dias 10 de junho e 15 de julho. Esse intervalo de tempo compreende o período entre dois dias antes do início e dois dias depois da final do mundial. O número é quase 13% maior que o registrado em igual período do ano passado, quando esses mesmos terminais receberam 15,8 milhões de pessoas. O balanço foi divulgado nesta quarta-feira pela Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República (SAC-PR).

Guarulhos (SP) foi o aeroporto que mais movimentou passageiros durante a Copa, com 4,1 milhões de viajantes. O aeroporto do Galeão (RJ) registrou fluxo de 1,92 milhão de passageiros. Em Brasília (DF), foram 1,77 milhão de passageiros no período, enquanto em Congonhas, na capital paulista, houve 1,41 milhão de passageiros. Em Confins (MG) foi registrada movimentação de 1,12 milhão de passageiros.

O recorde de movimento nos aeroportos brasileiros foi registrado em 14 de julho, dia seguinte à final entre Alemanha e Argentina, um dos maiores picos de movimentação do ano, se considerada toda a malha: 560 mil passageiros.

Em Salvador, por exemplo, a Copa atraiu mais gente para o aeroporto do que o Carnaval, o principal evento anual do calendário turístico. Foram 36,7 mil pessoas no dia 14 de junho, 15% a mais do que no dia de maior movimento do Carnaval deste ano, cita a SAC.

No Rio de Janeiro, o dia 14 deste mês bateu recorde histórico de movimentação (101,5 mil pessoas) nos aeroportos Santos Dumont e Tom Jobim. Isso significa cerca de 5% mais do que o movimento no dia seguinte à final da Copa das Confederações, em 2013, quando circularam 95,6 mil pessoas nos dois terminais. No aeroporto de Guarulhos o pico foi no dia 9 de julho, com 1.040 voos. Nesse dia, em média, um voo pousou ou decolou no aeroporto a cada 1 minuto e 23 segundos, ou seja, 43 movimentos por hora.

“Graças ao planejamento rigoroso e aos investimentos realizados desde 2011 na ampliação e reforma dos aeroportos, pudemos operar essa estrutura e manejar esse pico de demanda com alto grau de pontualidade”, afirmou o ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco.

O índice médio de atrasos superiores a 30 minutos nas partidas foi de 6,94% entre 10 de junho e 15 de julho. A SAC cita que, na União Europeia, os atrasos com mais de 30 minutos em todo o ano de 2013 representaram 7,6% do total. O balanço cita ainda que o tempo médio de restituição de bagagem nos aeroportos durante a Copa foi de 8 minutos e 36 segundos para os voos domésticos e de 28 minutos e 18 segundos nos internacionais. O check-in doméstico demorou, em média, menos de 11 minutos e a emigração ocorreu em 5 a 7 minutos.

A SAC argumenta que os principais aeroportos que atenderam as cidades-sede da Copa de 2014 receberam quatro vezes mais pessoas que os principais aeroportos da África do Sul durante a Copa de 2010. Segundo a Secretaria, passaram pelos terminais de passageiros sul-africanos cerca de 4 milhões e meio de pessoas entre 1º de junho e 17 de julho de 2010. Como comparação, a SAC cita que no Brasil, Guarulhos movimentou sozinho mais de 4 milhões de pessoas durante a Copa 2014.

 

Fonte: Veja
Foto: Reinaldo Marques