Notícias



Funcionamento do aeroporto e do transporte público agradaram turistas, segundo levantamento de especialistas

A mobilidade durante a Copa do Mundo de 2014 foi tema de palestra em seminário realizado na última semana em Brasília. Foram apresentados os serviços oferecidos na área de transporte pela Sociedade de Transporte Coletivo de Brasília – TCB e o planejamento da Aviação Civil para atender a demanda de movimentação aérea durante o Mundial.

O evento reforçou a importância da execução de planos operacionais, principalmente na entrada e saída de torcedores de Brasília. Segundo o diretor-presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Marcelo Guaranys, durante a Copa do Mundo foi realizada uma operação de monitoramento em 88 aeroportos e aplicado reforço em outros 42, cerca de uma semana antes e duas após o megaevento.

O gerente comercial do consórcio Inframérica, Roberto de Oliveira Luiz, lembrou que, assim como os atrativos de Brasília, o modelo de gestão dos aeroportos se tornou um marco ao intensificar a fiscalização e a prestação de atendimento ao público durante o Mundial, o que permitiu maior exposição.

“Finalizada a Copa, nos sentimos bem confortáveis. Os resultados foram bastante compensatórios. Foi uma vitrine, um cartão postal”, disse o gerente comercial.

Para o gerente de operações do consórcio, Josmário de Brito Alves, o maior legado foi mostrar que hoje Brasília tem um aeroporto em condições de atender toda a demanda de aviação comercial. “Tivemos 1,6 milhão de pessoas transitando com total segurança e conforto. O índice de pontualidade ficou acima de 85%, comparado com os maiores aeroportos do mundo”, apontou. “Acreditamos que em 2015 teremos novas rotas e traremos um serviço melhor para a população do DF.”

Transporte Público – O deslocamento dentro da cidade foi organizado pela TCB e contou com ônibus gratuitos para as pessoas que estacionassem em um dos 12 bolsões preparados para manter a organização do trânsito.

De acordo com o presidente da TCB, Carlos Alberto Ribeiro, em dias de maior movimento, cerca de dez mil pessoas chegaram a utilizar o transporte. Para que tudo corresse bem, foram necessários planejamentos em quatro áreas de atuação: transporte executivo e urbano, capacitação de funcionários, bolsões de estacionamento e novas tecnologias.

O presidente da Federação Nacional do Comércio (Fecomércio), Adelmir Santana, observou que “não podemos deixar essa janela de oportunidades se perder, uma vez que, conforme as pesquisas da época, o índice de satisfação dos visitantes foi grande. As pessoas que estão vinculadas ao Turismo e toda a cadeia produtiva têm que ficar atentas a questões de qualidade, serviços e a riquezas da nossa cidade”, declarou.

 

Fonte: Agência Brasília