Notícias



Em um único dia, volume de bagagens processadas no GRU Airport chega a 130 mil

Com uma circulação diária de 108 mil passageiros, em média, o GRU Airport – Aeroporto Internacional de São Paulo é o maior aeroporto da América Latina e o segundo em movimentação no Hemisfério Sul. Em um único dia, são processadas cerca de 130 mil bagagens, considerando os quatro terminais de Guarulhos.

Os Terminais 1 e 2 ainda concentram a maioria dos voos, mas o destaque em toda a operação é o Sistema de Distribuição de Bagagens (do inglês BHS – Baggage Handling System) do novo terminal de passageiros, o TPS3, inaugurado em maio do ano passado. Totalmente automatizado, o BHS tem 5 Km de esteiras e capacidade para processar cerca de 5 mil bagagens por hora, além de controle inteligente, que permite rastrear e localizar as malas em tempo real por meio de raios infravermelhos distribuídos ao longo do sistema.

“O novo sistema permite um ganho considerável em eficiência operacional, sobretudo na maior agilidade no processamento de bagagens e na questão da segurança, uma vez que há um controle rigoroso sobre todas aas malas que passam pelo sistema”, destaca o diretor de Operações do GRU Airport, Miguel Dau. Além disso, há uma redução nos índices de malas extraviadas, principalmente porque a distribuição das bagagens para os voos é feita de forma automática, sem interferência humana.

Além do complexo de esteiras de movimentação e distribuição, o sistema conta 102 posições de check-in para despacho de bagagem e outros 26 balcões para passageiros que estão em conexão. Para quem está desembarcando, são sete esteiras de restituição de bagagem.

Uma das grandes vantagens do sistema é a possibilidade de despachar a bagagem com 4 horas de antecedência, antes mesmo de a companhia aérea iniciar o procedimento de check-in, o que reduz consideravelmente as filas nos balcões, ao mesmo tempo em que libera o passageiro para usar o tempo livre da forma que melhor lhe convier.

As bagagens que chegam com antecedência são armazenadas automaticamente em um depósito com capacidade para 1.000 unidades, além de outras 500 posições que podem ser estocadas manualmente. Essas bagagens podem ser resgatadas rapidamente pelo sistema, assim que a companhia aérea iniciar o processo de check-in.

A redundância do sistema (back-up) garante que a operação seja ininterrupta – caso haja uma falha no sistema principal, ou mesmo quando é necessário fazer uma manutenção de rotina neste, o back-up é acionado.

O sistema de segurança atende aos padrões mais modernos, com cincos níveis de segurança, incluindo raio-X e tomógrafo. No último nível, a bagagem é retida para averiguação dos órgãos competentes.

 

Fonte: GRU Airport