Notícias



Concessionária monta esquema especial na Copa

Viracopos teve de montar uma operação especial para atender o movimento de delegações que disputaram a primeira fase da Copa do Mundo e passaram a usar o aeroporto para se locomoverem pelo país. A razão é que as obras do novo terminal não ficaram totalmente prontas até 11 de maio, data fixada pelo governo na licitação.

No novo terminal, que só estará completamente pronto no fim de outubro, a direção da concessionária Aeroportos Brasil, preparou o píer A, que passa a ser voltado a voos internacionais, para a recepção das seleções de futebol estrangeiras. Cerca de 400 pessoas foram alocadas para a operação, que vai até 20 de julho, uma semana após o término do mundial, diz Marcelo Mota, diretor de operações de Viracopos. Nessa área foram instalados todos os serviços normais: aduana, da Anvisa, Polícia Federal segurança e inspeção de bagagens.

Doze intérpretes foram selecionados para ajudar na recepção tanto das delegações quanto de turistas que descerem na área existente hoje do aeroporto. E 50 atendentes só para turistas.

A segregação das delegações, com atendimento especial no Pier A, do contato com turistas e passageiros normais do aeroporto, foi uma exigência da Fifa, informa o diretor. Esse esquema vai permanecer durante toda a Copa.

Viracopos recebeu voos diretos de quatro seleções: Japão, Costa do Marfim, Nigéria e Portugal. A delegação portuguesa, que conta com o craque Cristiano Ronaldo, foi a última a desembarcar, no dia 11 de junho, e ficou instalada na própria cidade de Campinas.

O aeroporto foi também usado para deslocamentos das seleções da Rússia, Honduras e Nigéria para cumprirem seus jogos em vários estádios do país. Ao todo, somando as sete equipes, serão 42 partidas e chegadas de viagens internas para realização dos jogos – apenas na primeira fase da Copa. Portugal, por exemplo, jogou em Salvador e Manaus e faz a terceira partida esta semana em Brasília. Já a Rússia tinha compromissos em Curitiba, Rio de Janeiro e Cuiabá.

Segundo Aluizio Margarido, diretor comercial da concessionária, oito voos charters de com 2 mil torcedores argelinos, incluindo o embaixador do país, vão sair do aeroporto de volta à Argélia. O grupo vem ao Brasil para seguir sua seleção durante a primeira fase.

Conforme Mota, o esquema da Copa previa a movimentação de 112 chegadas e saídas de aeronaves. Ele disse que Viracopos está servindo de pulmão para os voos da região Sudeste, ficando como opção para o caso de problemas de pouso em Guarulhos, Congonhas, Galeão, Santos Dumont e Curitiba.

“Além do pátio atual com 350 mil metros quadrados, fizemos três novos, já homologados pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), com mais 400 mil metros quadrados”, diz o diretor. Ele disse que até dia 10 de junho foram solicitados adicionalmente 116 voos charters no período da Copa – 104 locais e 12 internacionais.

A concessionária não prevê dificuldades nas operações durante o evento. Segundo o diretor comercial, havia previsão de retração de 15% no volume de passageiros que utilizam o aeroporto, no período. “Em torno de 60% dos usuários de Viracopos são executivos, que embarcam e desembarcam em viagens de negócios. Com a Copa, muitas empresas suspenderam as atividades”, diz Margarido.

Hoje, operam em Viracopos as nacionais Azul, TAM e Gol e a portuguesa TAP, com três frequências internacionais por semana. Em julho a Gol inicia voos para Miami e no começo de 2015 estão previstas saídas da Azul para a Flórida.

Conforme Mota, desde que a concessionária assumiu Viracopos, foram investidos quase R$ 100 milhões em melhorias no terminal existente, que, no futuro, será desativado.

 

Fonte: Valor Econômico
Foto: Divulgação/Aeroportos Brasil