Notícias



Aeroporto de Brasília está preparado para a Copa do Mundo

O Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, maior centro de concentração de voos domésticos do País, disponibilizará ao público, a partir desta semana, novas instalações do Píer Norte. Com essa entrega, o terminal aeroportuário, que recebe diariamente cerca de 45 mil passageiros, está pronto para receber turistas da Copa do Mundo e tornou-se um legado para a cidade.

O novo espaço foi vistoriado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) neste fim de semana e a partir e agora inicia uma “Operação Assistida”, período em que receberá apenas alguns voos e testará a estrutura. O local tem oito pontes de embarque distribuídas em uma área de 20 mil m². Somado à estrutura do Píer Sul, inaugurado em abril, o aeroporto passará de 13 pontos de embarque para 29.

Ao todo, 16,5 milhões de pessoas passaram pelo aeroporto JK em 2013. Este ano, a expectativa é que 21 milhões embarquem ou desembarquem no terminal que é o quarto maior do País em movimentação, ficando atrás apenas de Guarulhos (SP), Congonhas (SP) e Galeão (RJ). Futuramente, a Inframerica, consórcio que administra o local, espera aumentar para 25 milhões o número de passageiros.

“É a primeira vez que venho a Brasília e o aeroporto está lindo. Moro no Paraná e não tem nem comparação esta estrutura. Apesar de faltar ainda concluir algumas coisas, ficou muito legal e merece nota dez”, aprovou a nutricionista Liane Rebolatto.

Acostumado com o antigo formato do terminal, o passageiro Edson Calixto destacou que por diversas vezes presenciou atrasos de voos devido à quantidade de portões de embarque não serem condizentes com a demanda. Agora, ele lembrou que esse problema será resolvido.

“Por várias vezes já peguei atrasos de cerca de quatro horas somente pelo fato de o aeroporto não ter espaço para embarque. Essa ampliação deverá melhorar muito, e nós precisávamos disso”, complementou Calixto.

Em conexão na capital federal, Rayssa Vilela, que saiu de Imperatriz (MA) com destino a Curitiba (PR), elogiou a estrutura do aeroporto de Brasília: “O espaço é amplo e a estética foi priorizada. Ficou muito bonito”, opinou Rayssa, acompanhada do irmão Vinicius Vilela.

Mais Espaço

O Aeroporto JK aumentou 45% o tamanho de sua área, passando de 60 mil m² para 110 mil m². Além do Píer Norte, a Inframerica, entregará 95 balcões de check-in, vagas cobertas de estacionamento, espaço para taxistas, novas esteiras de bagagem, construção de sanitários e 41 posições remotas para as aeronaves.

“As obras de infraestrutura estão ampliando a capacidade e o conforto, novos serviços facilitarão a vida do usuário e há também esse lado importante do desenvolvimento do aeroporto, que é o comercial. Ter boas opções de consumo e lazer é imprescindível para que o passageiro tenha uma boa experiência”, destacou o diretor comercial do Consórcio Inframerica, Daniel Ketchibachian.

Novo acesso

Além das obras feitas dentro dos limites do aeroporto, o lado externo também recebeu melhorias com a inauguração do novo Balão Sarah Kubitschek. O empreendimento é a primeira obra realizada com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) – Copa entregue em todo o País.

De acordo com o diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Fauzi Nacfur, o projeto, que tem 700mm de extensão, sendo 300m de área coberta, representa um grande avanço para a cidade.

“Em nenhum outro lugar do Brasil se tem uma acessibilidade ao aeroporto tão fácil quanto Brasília. Nesse momento, essa obra melhora principalmente para os turistas da Copa do Mundo, mas, no fim das contas, é um legado que fica para a cidade e para esse aeroporto que tem demanda crescente a cada dia”, frisou.

Inicialmente, o novo Balão do Aeroporto, que beneficia em média 100 mil pessoas diariamente, estava orçado em R$ 98 milhões. No entanto, com a otimização de recursos, o GDF conseguiu economizar R$ 45 milhões e a obra foi finalizada ao custo de R$ 53 milhões.

Além da preocupação com o bom uso do dinheiro público, os executores do projeto tiveram o foco na responsabilidade socioambiental. Para fazer a obra foi necessária a retirada de 67 árvores da região que, após a conclusão das intervenções, foram substituídas por 700 novas mudas plantadas pelo GDF.

Atualmente, todo o local está sinalizado horizontal e verticalmente e, de acordo com informações do DER, faltam apenas alguns ajustes na iluminação pública próxima ao balão, procedimento que deverá ser realizado nos próximos dias.

Fonte: Jornal de Brasília