Notícias



Aeroporto de Brasília triplica capacidade de armazenamento do terminal de cargas

As obras realizadas no Terminal de Cargas (TECA) do Aeroporto de Brasília modernizaram o espaço e agora atendem a nova demanda de logística da capital federal. Porém, as mudanças não foram só estruturais, toda a área de estocagem de pallets foi verticalizada, triplicando a capacidade de armazenamento, o tamanho da câmara fria aumentou em dez vezes, além da construção de depósitos para armazenamento de mercadorias perigosas, melhorias na estrutura operacional e aquisição de novos equipamentos para movimentação de cargas.

Devido aos benefícios fiscais da região, Brasília é também ponto estratégico de transporte de cargas farmacêuticas, por isso, a câmara fria do terminal passou reformulação e teve sua capacidade acrescida em dez vezes, podendo armazenar até 500 produtos por dia – a câmara está apta a atender as temperaturas de 2° a 8°C, 15° a 22°C e -16° a -20° – em um local com pisos e paredes internas específicas para este fim, além de um gerador reserva.

Cargas perigosas, alimentos e animais também passam pelo terminal. Três novos depósitos aumentaram a capacidade de receber e estocar cargas explosivas, nucleares e de alta periculosidade. A área foi construída com toda a normativa e exigências do Conselho Nacional de Energia Nuclear (CNEN) que vistoriou e validou o espaço.

Para armazenar alimentos e outros produtos de origem vegetal e animal, duas áreas de 100 m³ cada foram construídas, segundo normativas do Ministério da Agricultura. Mas não para por aí, um outro espaço está sendo construído para receber animais vivos de pequeno porte, um canil, que obedece todas as regras previstas no manual da Comissão Nacional de Autoridades Aeroportuárias (Conaero).

 

Fonte: Aeroporto de Brasília